quinta-feira, 24 de Julho de 2014

A terra prometida

A lua brilha lá fora. O calor abafa uma pessoa. O tempo convida a actividades veranis e refrescantes. Porque Um Blog Muito Pipi gosta de vos dar tudo aquilo de que precisam para atingir a felicidade eterna, hoje o foco vai ser atirado para cima de... descontos! Dos bons. Dos fortes. Daqueles que fazem as almas sedentas de beleza salivar de desejo. Daqueles que podem retirar das nossas costas 60% do valor inicial de um produto. Oh yes! Onde? Na Perfumes & Companhia!
Ontem, via Facebook, partilhei a versão (mais ou menos!) embalada desta fotografia. Fofuras minhas, o que veem mais não é do que o resultado de uma semana de intenso trabalho comprístico. Mal tenho tido tempo para descansar, tal tem sido a azáfama.
Para apoiar meninas e meninos desavisados e desconhecedores do festival de emoção que decorre duas vezes por ano na Perfumes & Companhia, aqui vos deixo um elaboradíssimo, envolvente e por demais útil "Guia monetariamente mortal para compras felizes". Aqui vão 8 dicas do bem para o afundanço geral:
1. Esperar o inesperado - Fofuras, uma pessoa acredita na uniformidade de preços e de descontos dentro de uma cadeia de lojas. Erro! Entre a saída de um estaminé e a entrada noutro tudo pode mudar. Produtos disponíveis, descontos aplicados, variedade de cores. É de levar um ser humano à loucura! A título de exemplo: na imagem acima figura o blush Rosy Glow da Dior, compradinho por metade do preço habitual. Tudo lindo, tudo maravilhoso, tudo emocionante. Mas não tanto como a descoberta que fiz uns dias depois de o ter adquirido. Então não é que noutra loja da Perfumes & Companhia o mesmo fofinho mantém o seu preço de sempre? Horror dos horrores (e orgulho dos orgulhos por o ter conseguido rapinar no sítio certo!).
2. Viajar, viajar, viajar - Esta podia bem ser a parte b da primeira dica. Não digo que seja necessário calcorrear todas as lojas da Perfumes & Companhia do país (hum...). Mas se viverem numa zona com mais do que um estabelecimento da marca, vale super a pena fazer uma ronda de reconhecimento. Acreditem, nunca se sabe de onde podem saltar as melhores e maiores jóias maquiantes.
3. Aceitar o aparente desinteresse dos outros - Estranhamente, pelo menos na zona onde vivo, as prateleiras carregadinhas de pequenas maravilhas não parecem entusiasmar muita gente. Estarão as pessoas a viver no desconhecimento, qual Muito Pipi antes de Dezembro de 2013? Será que desconfiam da qualidade e, quiçá, da proveniência dos produtos em promoção? Sentir-se-ão ultrajados com a redução de preço das marcas caras? Estarão a viver um momento de total descapitalização? Tantas questões. Nenhuma resposta.
Qualquer que seja a verdade, na realidade pouco importa. Mais sobra (se bem que encontrar uma situação semelhantee à da imagem poderia ser profundamente enriquecedor)!
4. Ser paciente e dar tempo ao tempo - Os descontos são uma emoção! Em bom, porque claramente comprar coisas a metade do preço é sempre excitante e em mau, porque a organização não costuma abundar na zona saldística. Na realidade, as prateleiras dedicadas às maravilhas (mais) baratas têm por norma um toque de caos, que pouco ou nada se deve à passagem descontrolada de centenas de mãos frenéticas, em busca do batom perfeito. A questão é que, em vez de belos expositores cheios de testers, há toda uma amálgama de caixas empilhadas. Isto significa que é preciso mexer e remexer, investigar a fundo e, sobretudo, verificar embalagem a embalagem o preço. Diferentes cores, de uma mesma linha de uma mesma marca, podem apresentar descontos chocantemente distintos. 
5. Dedicar algum tempo a uma investigadela básica - Uma coisa que eu tenho sentido que ajuda no momento do estrafego que é a visita aos saldos é (supondo que uma pessoa não quer estar muito tempo em poses estranhas, atarrachada qual lapa a uma prateleira) pesquisar um pouquinho antes. Passear pela internet, dar uma vista de olhos em sites cheios de imagens de produtos (como o Temptalia e o KarlaSugar), conhecer melhor as marcas que mais vos interessam, ler opiniões sobre coisinhas que captaram a vossa atenção e fazer uma listinha de interesses especiais pode facilitar em muito a vida de um comprador em tempo de descontos.
6. Não sair de casa sem um aparelho com ligação à internet - Em particular se não tiverem tempo e/ou paciência para o conselho anterior, acreditem que uma pesquisa móvel em plena loja pode ajudar a tomar grandes decisões. Sim sim, meus queridos. É que a quantidade de produtos é grande, mas os testers nem sempre abundam. Porquê? Entre outras razões, parece que em vez de aproveitar as promoções, o pessoal usa a época de descontos para rapinar o material que deveria ajudar quem quer comprar as coisinhas. E pergunto eu: "Mas porquê?" Quem é o ser higienicamente alienado que quer usar nos lábios um batom que, para além de ter passado horas a fio aberto num local cheio de luzes, pode ainda ter percorrido os lábios, dentes, rosto e (quem sabe que mais partes do) corpo de meia cidade? Eu não!
7. Chatear sem medos - Nem sempre há amostras. As embalagens estão seladas. Uma pessoa não conhece todas as cores que as marcas inventaram até hoje. Nem sempre a pesquisa virtual consegue responder a todas as nossas questões. Por isso, fofuras minhas, na dúvida peçam a um dos vendedores que tenha a bondade de abrir as embalagens que vos interessam. Afinal, uma pessoa precisa de condições para fazer um bom trabalho!
7. Espreitar com atenção perfumes e cremalhada - Não só de maquiagem vive um indivíduo, não é verdade? A Perfumes & Companhia sabe! A variedade pode não ser enorme, mas mesmo assim vale sempre a pena uma visitinha à secção não maquilhística. Nem que seja para ouvir a indignação sonora de um rapaz que, perturbadíssimo, se recusava a acreditar que um BB cream de olhos da Dior pudesse custar 20 euros. "20 euros? Está tudo parvo?", disse ele horrorizado. Ao que eu respondi, interiormente claro, "Haja respeito... isto é Dior!"
8. Guardar a carteira no fundo mais profundo da mala - Um grande problema neste mundo de descontos é o carteirismo. De um tipo especial, mas ainda assim inegavelmente uma forma de carteirismo. Aqui os larápios não são profissionais de mãos leves. Não! São amadores de consciência pesada cuja alma grita "fiquem-me com tudo!". Meus queridos, se há em vós uma paixão por produtos de beleza, vai chegar inevitavelmente o momento em que, de cestinho dourado cheio, vão querer entregar todos os vossos bens (e roubar mais alguns) para poder pagar tudo. Se, e quando chegarem a esse estado, aconselho inspiração, expiração, reflexão e, em último caso, forte poder de selecção.
E agora vão... vão em busca da terra prometida! Boas compras!

sexta-feira, 11 de Julho de 2014

Emocional Circus

Meus queridos, há no mundo situações que falam mais alto que tudo o resto. Que gritam! Que nos obrigam a abandonar quaisquer outras ocupações. Que exigem que as partilhemos, tão só a apenas porque nos emocionam, impelindo lágrimas a atirar-se dos nossos olhos. Nesses momentos uma pessoa percebe que tem nas mãos um tesouro. Um pó de perlimpimpim. Um microfone sentimental. Uma chibatada de emoções. 
Assim é o vídeo abaixo. Qual montanha russa brasileira, o jovem intérprete leva-nos numa viagem artística pela mente humana. Alegria. Entusiasmo. Revolta. Choque. Dor. Desgraça! Porque ser humano é ser uma imensidão de coisas.
E é assim que, sob a alçada espiritual de Britney Spears, a musa inspiradora do artista, chega até nós um belo exemplo de arte contemporânea.  
Palavras para quê!
(Obrigada João!)

quinta-feira, 10 de Julho de 2014

Os queridinhos virtuais - parte 1

Fofuras minhas, hoje é dia de paixões. Não. Não são paixões cosméticas nem maquiantes. Hoje vou dar descanso ao corpo e soltar outras coisas (Hum...). Hoje é dia de paixões interiores. Daquelas que nos embelezam por aquilo que acrescentam à pessoa que somos.
Como prometido há umas semanas atrás via Facebook, A Muito Pipi vem por este meio lançar a chama da iluminação sobre blogs e páginas que me fazem muito feliz. Sendo uma fofa e doce criatura, prometo não vos esconder nada.
Entre fotografia, literatura e música, cabe de um tudo nesta primeira lista. A parte 1 dos "Queridinhos Virtuais" começa agora:
-Avis Alentejo - Um delicioso blog fotográfico feito por José Vilhena Moreira e Madalena Abreu, paragem necessária para os apaixonados pelo alentejo. Fotografias belas, cheias de detalhes portugueses e repletas de reflexos de cumplicidade. Para mim, um espaço familiarmente aconchegante. 
-La Traversée - Meninas (e quiçá também meninos) adolescentes, não procurem mais! Acredito que vão ser muito felizes por aqui, neste que é um Tumblr (quanto custa dizer isto!) carregado de inspirações jovens. Uma expressão actual de sentimentos, desejos e anseios pré-adultos. Um bom passeio pela mente juvenil.

-Memória com História - Uma viagem pelo passado historicamente recente através de imagens. Por lá encontram-se belas fotografias de família, retratos deliciosos da evolução publicitária e exemplos surpreendentes de publicações antigas. Mais do que interessante, é verdadeiramente encantador.
-Miguel Santana Photography - Há pessoas que percebemos desde cedo que querem mais, que precisam de mais. Pessoas cuja força criativa ultrapassa em muito aquilo que é conhecido e esperado. Miguel Santana é uma dessas pessoas. E é com emoção que eu, antiga companheira de brincadeira, vejo que a criança entusiasta e cheia de ideias que eu conheci, cresceu para se tornar um artista esplendoroso.
-Rente ao Plasma -Outrora, num post sobre o Toy (sim, neste blog há espaço para tudo!) usei uma imagem captada pelo autor deste blog. Comentários políticos, montagens inusitadas mas certeiras e um grande sentido de oportunidade fazem deste local um gigantesco baú de surpresas. Hilariante. Inventivo. Genial!
-Ruinologias -Já tinha falado sobre este blog aqui. Mantenho tudo o que disse (até porque a Muito Pipi pode ser uma louca sim, mas não das que saltitam de opinião em opinião quais passarocas perdidas num quarto escuro) e acrescento: as imagens e as palavras que por lá passeiam são sublimes. Verdade seja dita que adoro o autor, mas mais do que isso admiro a magia com que manipula as formas, físicas e verbais.
-See Music (Music to Be Seen Feelings to Be Listen) - Criado por uma das pessoas mais maravilhosamente divergentes e curiosas que conheço, este é um espaço dedicado à descoberta. De música sim, concerteza. Mas sobretudo de sentimentos. Sem dúvida um local a visitar por todos aqueles que procuram um olhar emocional através do toque musical. Livre. Franco. Puro.
-Sentido dos Livros - Mais do que um blog, esta é uma exposição literária. Um museu de ideias, opiniões e sugestões. Uma narrativa de amor apaixonante entre um homem e as histórias que, impressas, o circundam. Assim é o Sentido dos Livros. O autor descreve-o como um blog sobre "livros, escritores e editoras". Para mim é muito mais. É um olhar pessoalmente atento sobre as palavras. Um passeio pela complexidade humana. Uma fresta para a imensidão que é João Oliveira, o autor.
-The Vision - A pessoa por detrás desta página é uma das mais bonitas e talentosas jovens fotógrafas que circulam por aí. Pelo The Vision vão poder encontrar retratos do mundo, mas sobretudo harmoniosos momentos londrinos. Super inspirador, em particular porque a menina em questão tem apenas 17 anos. Ah, e também porque é minha irmã. Claro! Deslumbrante, criativa e muito muito dotada (hum...) só podia mesmo ser irmã da pessoa Muito Pipi que sou eu. Alucinações orgulhosas à parte, devo dizer que aguardo ansiosamente pelo crescimento do acervo fotográfico presente neste Tumblr. Actualizações, por favor!
E depois disto, aguardem fofuras, aguardem a segunda parte desta selecção virtualmente amorosa. Em breve, num pipizal perto de vós!

quarta-feira, 9 de Julho de 2014

Nuxe: protectora perfumadora

Fofuras do mundo, habitantes deste local ensolarado, cheio de luzes prontas a queimar o nosso corpo e a derreter a nossa alma sedenta de juventude, a Muito Pipi tem uma nova paixão protectora.
A facilidade com que me entrego a produtos é conhecida. No fundo não sou mais do que uma coelhinha saltitante que se deixa alegremente levar nas garras cheirosas e embelezadoras de aves de rapina cosméticas. Mas não se iludam! Deixar-me seduzir com facilidade não significa envolver-me em relações amorosas duradouras, nem tão pouco apaixonadas com qualquer bonitinho lançador de charme. Sobretudo quando o assunto são protectores solares.
Nesta área, e depois de anos de produtos escolhidos pela família, o primeiro amor  protector chegou a mim através da Roche Posay, que me encantou com a sua abundância de fluidos. Muito tempo depois, entrou na minha vida uma pequenina e cheirosinha arma da Chanel. E até há bem pouco tempo foi isto. Mas agora, agora meus fofos, agora tudo mudou! Agora dou por mim entusiasmada com a chegada do momento de defender este corpo do sol. A razão? Vício perfumante minha gente. Só e apenas vício perfumante.
Queridos e queridas deste mundo, o responsável por esta apetitosa adição é o Delicious Lotion For Face and Body (High Protection SPF 30), da Nuxe.
Haja pele para jorrar esta maravilha para cima! Oh sim! É que para além de um cheiro indescritivelmente bom (algo da família olfactiva do Huile Prodigieuse), o líquido branco tem uma textura magnífica. Muito ao estilo de um fresco e delicado hidratante corporal. Ohhhhhhhhhh! Loucura das loucuras, amor dos amores.
 A marca diz que pode ser usado em tudo quanto esteja de fora. A Muito Pipi teme e opta por afastar o rosto da loção deliciosa. Não que ela seja assustadora, nada disso. Simplesmente prefiro produtos pensados especificamente para a pele do rosto. Ainda assim, acredito que muitos de vós possam ser felizes com este queridinho por todo o lado, em particular se não tiverem pele sensível e se não forem uns cocós como eu.
Melhor: os aterrorizados da vida com a possibilidade de efeitos fantasmagóricos podem descansar e suspirar de alívio. Não há qualquer esbranquiçamento da pele. Só um brilho subtil, delicado e perfumado.
E perguntam vós, curiosos sedentos de informação: "Onde se vende em Portugal?" Boa pergunta. O meu veio por 17.50 euros do maravilhoso Cocoon Center, uma farmácia online que conheci através do viciante blog Coisas& Cenas.
E com isto me despeço, com um caloroso até amanhã! Sim... que a Muito Pipi pode andar num compasso de escrita caracolento, mas esta semana tudo vai mudar. 

quarta-feira, 25 de Junho de 2014

Chorando por dentro... suando por fora

(Aviso à leitura: o post de hoje serve pura e exclusivamente para efeitos queixosos. Se não deseja ouvir lamentos hiperbólicos fuja. Corra! Afaste-se daqui!)
Neste momento mais não sou do que uma pobre mulher, rebolando pela existência, numa eterna bola de neve de afastamento em relação aos bens essenciais à felicidade e ao conforto. Um farrapo de pessoa, vítima chorosa, injustamente atirada para fora da caixa de amor e segurança onde outrora vivi. Uma pobre louca, que tenta a todo o custo negar a realidade. Uma Muito Pipi muito pouco pipilante.
Há mais de um ano atrás, partilhei o horror que senti ao pensar que o meu desodorizante queridinho tinha sido descontinuado. Na altura, tudo terminou bem, consegui colocar-lhe as mãos em cima, esfregar as axilas com ele e respirar (e transpirar) de alívio. 
Agora, muito tempo depois, é com tristeza que me vejo obrigada a aceitar o inaceitável. O amor dos amores, ajudante em tempos de crise, Desodorizante em Creme para Peles Sensíveis e Depiladas, da Vichy, morreu.
Embora o site da marca insista na sua existência, a verdade é que o mundo farmacêutico grita o seu desaparecimento.  Tal como outrora, em tempos de dor e sofrimento devido à fuga do desejado Active C, a Muito Pipi volta a pedir: se alguém sabe do paradeiro deste amigo de todas as ocasiões, tenha a bondade de me auxiliar. E atenção fofuras: não se deixem enganar por uma embalagem semelhante que anda por aí. Ansiosa, corri muitas vezes para um produto que julguei ser o meu amado. Mas não. Era o Tratamento Antitranspirante 7 dias. Malvado engano! Dor das dores!
Muitas desilusões depois, é assim que, chorosa, ranhosa e quiçá suada, me despeço do meu amado Vichy. Adeus meu querido, adeus companheiro. Serás para sempre recordado com carinho. Em mim ficará para sempre o toque suavemente cremoso dos teus ingredientes. Dentro do meu armário de produtos haverá sempre um espaço para ti. Na minha conta bancária estarão sempre 10 euros guardados, em tua memória. Muitos podem vir. Mas como tu mais nenhum. Um bem haja e até sempre!

quinta-feira, 19 de Junho de 2014

Mascarando

Uma coisa que eu percebi desde cedo foi quão perigoso é confiar amados fios de cabelo a cabeleireiros desconhecidos.
Meus queridos trabalhadores do sector capilar, infinito perdão vos peço. Bem sei quão violenta é a frase que inicia este post, mas quem já foi várias vezes ofendido por tesouras perdidas pelos trilhos pilosos de uma cabeça, sabe bem do que falo.
Não me entendam mal: há pelo mundo maravilhosos profissionais. Daqueles que ouvem e respeitam (ai sim, por favor!) os seus clientes. Que não nos levam o cabelo todo quando o pedido foi "um cortezinho pequenininho". E que não nos deixam sair do salão, aos 26 anos, com cara de velhota doente, resultado de uma descoloração que claramente passou do ponto. Daqueles que aconselham. Daqueles que sabem de facto o que fazem e que têm prazer em oferecer o melhor serviço possível. É graças a uma dessas pessoas que a Muito Pipi raramente usa condicionador.
Não. Não ando por aí a dar a dar com cabelo acabadinho de sair do champô, directamente para a realidade seca. Nada disso! Também não tenho absolutamente nada contra condicionadores. Antes pelo contrário. Simplesmente, e de forma geral, sinto que a peruca se comporta melhor quando interage com máscaras.
Cabelos finos, encaracolados e super longos (como são os meus) não costumam ser os mais hidratados ou comportados do mundo. Parece que o formato espiralado dificulta o escorregâncio do óleo para as pontas! Rezas, preces, danças da chuva... nada! O maldito não desce o suficiente. Mas com a Muito Pipi, se não vai a bem vai a mal! "Ai não queres descer, nojentinho indolente? Então também não preciso de ti!" E foi assim que as máscaras ganharam um lugar encantado na minha banheira.
Um pequeno (grande) desvio para alertar os utilizadores de máscaras capilares que habitam com outros seres humanos. Cuidado! Uma pessoa unta o cabelo com materiais potentes e, no meio desse estrafego, há todo um besuntamento colateral de banheiras.
Ditam bons hábitos de convivência que uma pessoa proceda à higienização do local onde se lavou, antes que outros para lá se enfiem. Mas há coisas meus queridos, há coisas que não vão pelo ralo abaixo com uma pequena chuveirada. Depois de muitas escorregadelas masculinas, a última das quais culminou com a aterragem de um pulso em cima de uma torneira, eu não poderia deixar de vos avisar. Se querem manter as vossas relações, e os corpos dos vossos mais do que tudo intactos, cuidado, muito cuidado! Se, por outro lado, são obrigados a conviver com pessoas que preferiam ver longe, então o meu conselho é: não limpem! Deixem que o vossa máscara faça o trabalho sujo!
No mundo após retirada do champô, uma das minhas super queridinhas Armadilhas de Satanás é a máscara Time Restore da Schwarzkopf.
Não deixem que a embalagem vos confunda fofuras. Apesar da marca indicar o uso desta linha em cabelos maduros e frágeis, a experiência diz-me que isto é material para fazer muitos encaracolados felizes! Em particular se fazem coisas malvadas aos vossos cabelos, seus diabinhos destruidores de crinas.
Eu conheci-a depois de uma terrível experiência de mudança de visual e a verdade é que revitalizou fios que estavam sedentos de ajuda. Sedentos tipo zombies a brotar do chão, de bracinhos ossudos levantados para o céu, tentando agarrar qualquer oportunidade para sobreviver. Assim estavam os meus amigos peludos, assim estava a minha alma, terrivelmente esfaqueada por uma cabeleireira do mal!
Confesso que não sei como se comporta em fios mais velhotes. Mas em novinhos louquinhos e enroladinhos, é do melhor! O resultado são cabelos com bom aspecto, com movimento, com volume e muito, muito, bem cheirosos! Tudo por menos de 20 euros.
 

sexta-feira, 13 de Junho de 2014

Um amor... Azeitoso?

Na loucura que foi a última visita à Selfridges, em pleno Beauty Project (para mais desvarios, basta seguir por aqui), vários objectos embelezadores saltaram para dentro do meu cestinho de compras.
Na realidade uma pessoa não quer envolver-se em nada disto. Uma pessoa vai só para ver coisas bonitas enquanto passeia num local abrigado dos caprichos meteorológicos da capital inglesa. Mas como (como?) pode essa mesma pessoa, cheia de necessidades, desejos e boa educação (sim sim, boa educação!), negar um pouco de dinheiro em troca de doces momentos cheios prazer? Não pode, claro que não! Não só seria indesculpável, como absolutamente rude. Deselegante mesmo.
E foi assim que, com uma profunda dedicação à causa "Educação e Delicadeza para com Produtos de Beleza", e entre MAC, Shu Uemura, EOS e outras coisitas mais, uma embalagem fofamente indecifrável voou da prateleira para a minha mão, arrancando de lá cerca de 5 libras.
Dentro da dita cuja (da autoria da Japonesa DHC) vivem 50 cotonetes, individualmente embalados, embebidos em azeite.
Uma pausa para acalmar os mais agitados. Bem sei que a descrição é estranha. Reconheço também o seu potencial para o amedrontamento de seres humanos (como uma amiga minha, por exemplo, que há umas horas atrás fitou com repugnância a embalagem fofura máxima enquanto eu lhe apresentava a minha mais recente descoberta cotonetal). Mas é bom! Acreditem! Estes pequenos amiguinhos ajudam a tirar maquiagem e a hidratar coisas secas (como cutículas) da vida muitíssimo bem. E sem cheiros aterrorizadores.
Queridos e queridas, contra todos os temores incluídos numa relação com produtos azeitais, a Muito Pipi reafirma: isto é um poder! Ah... e por serem finos, os cotonetes funcionam muito bem na correcção de deslizes de maquiagem. É verdade que no final fica um rasto ligeiramente gorduroso, qual gosminha de caracol andante. Mas sinceramente até aprecio. E a embalagem é tãoooooo (perdoem o emoção/histeria) charmosa! Quem pode não gostar? (Délia, I'm talking to you!)